FIM DOS BOLETOS SEM REGISTRO: O QUE MUDA COM A NOVA REGRA?

Publicado por Dygransoft em

 

Com o fim dos boletos sem registro saiba como serão as cobranças bancarias.

A Febraban(Federação Brasileira de Bancos) modificou as regras para emissão de boletos em 2015, com essa mudança gerou muitas dúvidas.

Neste post explicaremos essas mudanças nos boletos e esclarecer as principais dúvidas:
A principal mudança implantada pela Febraban é permitir emitir apenas boletos com registro, ou seja as cobranças não poderão ser mais feiras com boletos sem registro.Esta mudança faz parte do decreto do Projeto Nova Plataforma de Cobrança, que tem como objetivo de modernizar o sistema de boletos, armazenando e cruzando os dados de todos os documentos do tipo emitidos no Brasil. Eles serão registrados na Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP), que funcionará como um registro único de boletos.

Mas afinal, qual a diferença entre boletos sem registro e boletos com registro?
É a forma como eles são registrados no banco, o boleto sem registro o banco toma conhecimento dele apenas quando o cliente efetuar o pagamento. O boleto com registro o banco toma conhecimento dele no momento de sua emissão, através do arquivo remessa.

Mas o que muda com o boleto registrado?
Basicamente ele traz duas mudanças, na emissão e na cobrança. Quando emiti o boleto, é obrigatório informar no documento e no registro bancário CPF ou CNPJ do pagador. Também não será possível emitir boletos sem data de vencimento e sem valor. Já na cobrança, a mudança ocorre caso o boleto não seja pago. O boleto registrado permite enviar o pagador para protesto em cartório.

O que a sua empresa deve fazer?
Deve planejar a sua adesão à ferramenta, atendendo às regras de emissão de boletos. Ainda que seu cliente possa pagar um documento sem registro, não é vantajoso para ele, assim como não há nenhuma garantia de que essa situação seja permitida por mais tempo. Ou seja, é importante se atualizar. Hoje quem vai contratar uma carteira junto ao banco não encontra mais a opção de boleto sem registro. Para quem utiliza a emissão de boletos a transição é bastante fácil, não provocando maiores alterações na sua rotina, pois o software atua de forma integrada com a instituição financeira. Assim, o registro será feito automaticamente pelo sistema, sendo o arquivo de remessa transmitido ao banco com todas as informações.

Cronograma das alterações.
A medida não é exatamente uma surpresa, pois vem sendo implementada desde 2015. Até dezembro de 2016, clientes antigos também tiveram que migrar suas carteiras simples para o novo formato. Inicialmente, em julho de 2017, a regra será aplicada para boletos com valor acima de R$ 50 mil. O processo se completa em dezembro, quando atingirá documentos de qualquer valor.
O cronograma estabelecido pela Febraban é o seguinte:

Faixa de valor do boleto                          Data de início de validação
Igual ou superior a R$ 50.000,00                10/07/2017
Entre R$ 2000,00 e R$ 49.999,99              11/09/2017
Entre R$ 500,00 e R$ 1.999,99                  09/10/2017
Entre R$ 200,00 e R$ 499,99                     13/11/2017
Boletos de todos os valores                          11/12/2017

Então, isso significa que a partir dessas datas a minha empresa não poderá mais emitir boleto sem registro nos valores previstos?
Na verdade, a emissão não estará proibida, mas se quiser mantê-la, terá que informar ao seu cliente que o pagamento só poderá ser feito no banco responsável pelo documento e sua emissão tornará mais cara para empresa.

Resumindo as principais informações que você precisa saber sobre a emissão de boletos:
• Empresas deverão adotar o boleto registrado ao longo de 2017.
• Boletos simples continuam existindo, mas só poderão ser pagos junto ao banco emitente.
• No modelo registrado, será preciso identificar o pagador, valor do documento e vencimento.
• A emissão se tornará mais cara para a empresa, sujeita a novas taxas bancárias.
• Será preciso manter ativo e atualizado um cadastro de clientes.
• Valores de juros e multas serão atualizados automaticamente ao pagar após o vencimento.
• Seu cliente poderá quitar boletos vencidos em qualquer banco.
• Como o pagamento também será registrado, não será permitida a sua duplicidade.
• Erros ao digitar o código de barras serão apontados na tentativa de pagamento.
• Se algo der errado, o boleto só poderá ser pago junto ao banco emitente.
• O formato atual do boleto permanece, incluindo seu código de barras com 44 dígitos.

Clique aqui para conferir a cartilha da Nova Plataforma da Cobrança ou procure o seu banco de relacionamento para esclarecimentos.

Qual a maneira mais simples de emitir boletos?
A emissão de boletos torna-se mais simples e prática quando todos os processos da empresa são integrados. Isto é possível através do nosso sistema de gestão, através de poucos cliques e de forma fácil e prática, sem perda de tempo. Faça um orçamento hoje mesmo e descubra o porquê o DGE-ERP é a escolha ideal para sua empresa.

A Dygran desde 1995 acumula competência e experiencia no desenvolvimento de softwares, aplicados à melhoria de processos em empresas comerciais e industriais.

Ajudamos clientes a crescer e a melhorar suas vidas e negócios.

Quer saber como fazemos isso?
Entre em contato conosco pelo telefone 44 3031-5500 – 98827-5820(whats) ou pelo e-mail comercial@dygransoft.com.br.


Dygransoft

Fazemos parte do grupo Dygran, fundado em 1986 sediado na cidade de Maringá – PR. Desde 1995 a Dygransoft acumula competência e experiência no desenvolvimento de softwares de gestão de empresas (ERP). Nossas soluções são distribuídas por todo o Brasil através de parceiros que atendem prontamente a necessidade de cada cliente.

Iniciar Conversa
Precisando de Ajuda
Olá!
Podemos de ajudar?