Fim de Ano! É preciso planejar outra vez?

Publicado por Caio Henrique em

Começa ano, termina ano… passamos por esse processo inúmeras vezes, mas será que o fazemos da maneira correta? Tem algum segredo? Precisa ser diferente?

A enxurrada de informação por vezes nos confunde. Tanto é assim que Normann Kestenbaum escreveu o livro “Obrigado pela informação que você não me deu”. No passado reclamávamos da falta de informações, pois eram poucos os autores que conseguiam publicar livros devido aos elevados custos. Hoje em dia, além da elevada quantidade de livros há inúmeras publicações, com destaque para as eletrônicas, de custo baixíssimo, permitindo exprimir e expressar suas ideias a todos que desejam. Isto certamente contribui para a maximização do conhecimento, mas também há o lado negativo. Pessoas mal-intencionadas publicam inverdades e outras, por descuido ou falta de pesquisa cuidadosa, alastram informações falsas. Diante deste contexto o público desconfia e recorre a sites seguros para não perder tempo com notícias de fontes desconhecidas e não confiáveis. Este mesmo cuidado – selecionar criteriosamente as informações – deve ser seguido para bem gerir os negócios.

Sem grande alarde, sem precisar de um estudioso ou mesmo de especialistas caros é bem provável que todos saibam ser preciso planejar antes de viajar. Ninguém vai para a estrada, ainda que seja no final de semana para a casa dos pais que moram a alguns quilômetros, sem pensar um pouco: quem irá junto, qual o meio de transporte, que hora será a saída e o retorno. Quando a viagem é mais complexa, como por exemplo, para uma pescaria, é necessária planejar com mais detalhes.

A viagem realizada por uma empresa para adentrar num novo ano é cheia de minúcias. Se não for minimamente pensada é possível deparar-se com surpresas e colocar em risco a continuidade do passeio, ou seja, a sequência da empresa no mercado. Mas e quando se pensa em tudo, ou quase tudo, e surgem imprevistos? Certamente é impossível prever tudo, mas investir algumas horas na reflexão e no planejamento pode reduzir a chance de surpresas. Poderão ser criados planos A, B e C para conjunturas diferentes, bem como reservas, especialmente de recursos financeiros, para aumentar a segurança em relação a um temporal indesejado.

As reuniões com os principais assessores deve começar com a análise do ano que termina e, na sequência, pensar como deseja o ano novo para o seu negócio: previsão de faturamento, gastos e lucro, produtos e/ou serviços. Expandirá o negócio? Como o mercado está impactando este segmento? Será necessário investir em novas tecnologias? Como os concorrentes têm agido e o que é possível aprender com eles?

Não permita que o planejamento desapareça ou seja esquecido. Habitue-se a registrar com riqueza de detalhes e retome-o durante o ano para verificar se está indo no caminho certo. Se necessário não receie em ajustar a rota, pois o importante é que o resultado seja atingido com sucesso ao final da viagem.

Quando não se sabe exatamente para onde deseja ir, qualquer destino tomado poderá ser o caminho certo ou errado. Desejar ardentemente é o primeiro passo para conquistar novas metas e é assim que as pessoas de sucesso conseguem voar mais e bem. Não é complicado planejar, aliás é prazeroso concluir que os sonhos de olhos abertos e com a equipe envolvida foram atingidos.

A técnica de pensar e planejar não deve limitar-se aos negócios, mas sim estender-se a todos os aspectos da vida, pois se todas as atividades são planejadas (lazer, família, estudos, atividades sociais etc.) o sucesso geral, inclusive nos negócios, será mais facilmente alcançado.

Sim, é necessário planejar outra vez e muitas outras. O planejamento pode ser feito para 10 ou 20 anos, desde que fragmentado em espaços menores, pois é mais fácil de ser visualizado, compreendido e comemorado conforme as metas forem obtidas. A sensação das pequenas vitórias motiva a alcançar cada novo pequeno objetivo.

Fonte: Gilmar Duarte

Categorias: Notícias

Iniciar Conversa
Precisando de Ajuda
Olá!
Podemos de ajudar?
Powered by